Niall Ferguson: baixa educação e ressentimento alimentam extremismo e guerra híbrida

politics-anger-resentment

Historiador escocês, professor de Harvard e nome que esteve na lista das 100 pessoas mais influentes do mundo pela revista “Time”, Niall Ferguson afirmou: parcelas menos educadas da população tendem a aderir a discursos extremistas de direita como solução para crise. Em passagem em evento promovido pelo banco Itaú em São Paulo, Ferguson referiu-se como a baixa qualidade educacional cria a percepção de que “o mundo não funciona” e a fácil aceitação de que pessoas sozinhas com soluções extremistas resolveriam problemas como criminalidade e imigração. Apesar de ser um intelectual muito solicitado como palestrante em eventos corporativos, a fala de Ferguson revelou como a baixa qualidade educacional cria o ressentimento: a matéria-prima psíquica da qual se aproveitou a guerra híbrida brasileira. Mas agora, discursos extremistas de direita brasileiros estão prontos para oferecer novos bodes expiatórios para direcionar o ressentimento de jovens universitários que sentem que o “mundo não funciona”: a distância entre o diploma conquistado com esforço e a realidade profissional precarizada. Pauta sugerida pelo nosso leitor Paulo Manetta.  

CONTINUE LENDO A MATÉRIA AQUI:

http://cinegnose.blogspot.com.br/2018/04/niall-ferguson-baixa-educacao-e.html

Estados Unidos manejam a Lava Jato para destruir o Brasil e a América Latina

B62B46B557AD595FFCCB1207F1D5D8E2D833C6BFFD9051AC329AC9EA7C039438

Dilma Rousseff e Cristina Kirchner denunciaram que líderes nacionalistas e progressistas do continente estão sendo submetidos sistematicamente ao ‘lawfare’

Num discurso feito em julho deste ano, no qual felicitava a si mesmo, o subprocurador geral estadunidense Kenneth A. Blanco, que dirigia a Divisão Penal do Departamento de Justiça (porque logo o Secretário do Tesouro, Steve Mnuchin, o escolheu para encabeçar a Direção de Investigação sobre Delitos Financeiros), se referiu ao veredito condenatório ditado contra o ex-presidente do Brasil, Lula da Silva, como o principal exemplo dos “resultados extraordinários” alcançados graças à colaboração do Departamento de Justiça (DOJ, por sua sigla em inglês) com os promotores brasileiros na operação “anti corrupção” chamada Lava Jato.

CONTINUE LENDO A MATÉRIA AQUI:

https://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Pelo-Mundo/Estados-Unidos-manejam-a-Lava-Jato-para-destruir-o-Brasil-e-a-America-Latina/6/39001

 

Cinegnose e Savoir Cursos & Palestras promovem workshop “Guerra Híbrida e Bombas Semióticas”

Workshop.jpg

Por Wilson Roberto Vieira Ferreira

COMUNICAREMOS A PRÓXIMA DATA DESTE EVENTO AQUI NO BLOG

O Blog “Cinegnose” e a “Savoir Cursos e Palestras” promovem o workshop “Guerra Híbrida e Bombas Semióticas”. Este humilde blogueiro desenvolverá o workshop no dia 10 de março, no Hotel São Paulo Inn, no Centro de São Paulo. A partir da Guerra Híbrida implementada por uma inédita estratégia política midiática no período de 2013-2016 que culminou com o impeachment e a atual crise política, o workshop descreverá as diversas ferramentas de ação na opinião pública que vão muito além das fake news: Engenharia Social, Bombas Semióticas, Jornalismo Metonímico, Agenda Setting e Espiral do Silêncio, Estratégias Virais etc. E as perspectivas de ações políticas antimídia em um ano eleitoral… se tivermos eleições.

CONTINUE LENDO A MATÉRIA AQUI:

http://cinegnose.blogspot.com.br/2018/02/cinegnose-e-savoir-cursos-palestras.html

 

O dia que durou 21 anos | Documentário Completo

O documentário tem como ponto de partida a crise provocada pela renúncia do presidente Jânio Quadros, em agosto de 1961, que se estende até o ano de 1969, com o sequestro do então embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Charles Burke Elbrick, por grupos armados. O principal destaque deste documentário é o grande acervo documental apresentado além do enfoque à participação ativa dos EUA durante todo o complexo processo político que levou à deposição de João Goulart. Direção: Camilo Galli Tavares | Ano: 2012 | Duração: 1h e 20min.

FONTE:  YOUTUBE

PESQUISADOR AMERICANO APONTA LULA COMO UM PRISIONEIRO DOS EUA

5224.jpg

Em entrevista a Aline Piva, do Nocaute, o pesquisador Mark Weisbrot, do Centro para Pesquisas Econômicas e de Políticas Públicas, think-tank de Washington, diz que a Operação Lava Jato é orientada pelo Departamento de Justiça norte-americano; “os Estados Unidos estão obviamente envolvidos nas investigações”, diz ele; segundo Weisbrot, será necessário realizar uma investigação independente para se descobrir qual a dimensão do papel dos Estados Unidos no golpe de 2016, que derrubou a presidente Dilma Rousseff ilegalmente e agora se fechou com a prisão de Lula; Weisbrot diz esperar que, desta vez, a verdade apareça mais rapidamente do que no tocante ao golpe de 1964

8 DE ABRIL DE 2018 ÀS 21:59 //

BRASIL 247 – Em entrevista a Aline Piva, do Nocaute, o pesquisador Mark Weisbrot, do Centro para Pesquisas Econômicas e de Políticas Públicas, think-tank de Washington, diz que a Operação Lava Jato é orientada pelo Departamento de Justiça norte-americano. “Os Estados Unidos estão obviamente envolvidos nas investigações”, diz ele. Segundo Weisbrot, será necessário realizar uma investigação independente para se descobrir qual a dimensão do papel dos Estados Unidos no golpe de 2016, que derrubou a presidente Dilma Rousseff ilegalmente e agora se fechou com a prisão de Lula. Weisbrot diz esperar que, desta vez, a verdade apareça mais rapidamente do que no tocante ao golpe de 1964.

Confira, abaixo, o vídeo e um trecho de sua entrevista:

 

PRISÃO DE LULA É MAIS UM CAPÍTULO DO GOLPE CONTRA O BRASIL, DIZ REQUIÃO

5214

Senador Roberto Requião afirmou nesta sexta-feira (6), no plenário, que a ordem de prisão do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva faz parte do movimento de destruição da soberania brasileira e da entrega do país aos interesses da globalização financeira e imperial.

Requião lembrou ainda que a ordem de prisão emitida pelo juiz Sérgio Moro não respeitou a presunção de inocência, o prazo para embargos e a publicação do Acordão do STF.

Veja o pronunciamento do senador: